Um eletrodoméstico essencial para o homem: lava-louças

Reafirmo, a lava-louças é um eletrodoméstico essencial na vida de um homem.

Tudo começou com um vídeo do Mário Sérgio Cortella onde ele trata sobre o índice de vendas de máquinas de lavar louça com a escolaridade da população.

Esse vídeo me deixou intrigado, principalmente porque eu nunca tinha pensado por esse viés que como ele diz, as sociedades também são avaliadas por aquilo que elas não tem.

Como eu não tenho empregada, a louça suja da minha casa eu tenho que lavar, e assim, fui pesquisar mais sobre o assunto.

Segundo algumas estatísticas, uma pessoa pode gastar 300 horas por ano apenas lavando louça, e isso é tempo demais.

Resolvi que eu deveria adquirir uma lava-louças e ver se esse equipamento funciona tão bem assim. Um dos artigos que mais me ajudou foi esse abaixo do site Casal Recomenda:

A melhor lava-louças para se comprar em 2017!

Vi também alguns vídeos no YouTube, avaliei a quantidade de reclamações sobre defeitos nos equipamentos e acabei por escolher a LI10B de 10 serviços da Electrolux.

Como faz pouco tempo, estou ainda avaliando a qualidade da limpeza, entretanto, já faz dois meses que não sei o que é lavar um copo, um prato, talheres e até algumas panelas.

Resumo da história, meu tempo na cozinha diminuiu drasticamente. Tiro a sujeira dos pratos, coloco na lavadora, deixo ela trabalhar e vou fazer outra coisa da minha vida.

Se você preza seu tempo esse é realmente um tipo de aquisição que você deveria avaliar.

THE RATIONAL MALE: A DINÂMICA DO DESEJO

Você não pode negociar o Desejo.

Este é um princípio muito básico que a maioria dos Homens e deliberadamente a maior parte das mulheres tem ignorância. Pelos últimos 10 anos um dos questionamentos mais comuns que eu tenho recebido sobre problemas pessoais é alguma variação de “como eu consigo ela de volta?” Normalmente isto vem de homens procurando alguma metodologia para fazer com que o seu relacionamento volte a um estado anterior onde uma mulher anteriormente apaixonada não conseguia ficar com suas mãos longe dele. Seis meses em uma confortável familiaridade e a emoção já era, mas na verdade o que já era é o desejo genuíno que se foi.

Normalmente é neste estágio que um homem irá recorrer à negociação. Algumas vezes isto pode ser tão súbito quanto ele progressivamente começa a fazer coisas para ela na esperança que ela será recíproca com o mesmo fervor sexual que eles costumavam ter. Outras vezes um casal poderia ir a um aconselhamento matrimonial para “resolver seus problemas sexuais” e negociar termos para a complacência sexual dela. Ele irá prometer lavar as louças e levar a roupa suja com mais frequência em troca pelo interesse sexual fingido dela por ele. Mesmo assim, não importa quais os termos oferecidos, não importa o quão grande é o esforço externo que ele faça merecendo a recompensa, o desejo genuíno dela não está lá. Na verdade, ela se sente pior por não ter o desejo depois que tais esforços foram realizados pela complacência dela.

Desejo negociado leva sempre apenas à complacência obrigada.

Isto é o porque a resposta sexual dela pós-negociação é geralmente tão sem brilho e fonte de uma frustração ainda maior da parte dele. Ela pode estar sexualmente mais disponível para ele, mas essa experiência sem coração nunca será mais a mesma de quando eles primeiro se encontraram e não havia negociação, apenas o desejo espontâneo de um pelo outro.

De uma perspectiva masculina, e particularmente de um macho beta inexperiente, negociação de desejo parece uma solução racional para o problema. Homens tendem a contar com com um raciocínio dedutivo; de outra forma também conhecido como fluxo de lógico “se então”. O código é normalmente algo como:

Eu preciso de sexo + mulheres tem o sexo que quero + pergunte as mulheres quais as condições para o sexo + cumprir os pré-requisitos para o sexo = o sexo que eu quero.

Faz sentido certo? É a simples ciência da dedução, mas construída sobre uma fundação que depende das autoavaliações de uma mulher. O desejo genuíno que eles antigamente experimentaram no início de seu relacionamento foi diminuindo por uma série totalmente desconhecida de variáveis. Evidentemente deixando claro que o desejo por desejo recíproco cria uma obrigação, e algumas vezes até um ultimato. Desejo genuíno é uma coisa que uma pessoa deve ter – ou ser levada a ter – por sua própria vontade. Você pode forçar uma mulher através de ameaça a concordar em se comportar de uma forma desejada, mas você não pode fazer ela querer se comportar daquela maneira. Uma prostituta irá trepar com você por um valor, mas isso não quer dizer que ela queira isso.

Seja em um RLP (relacionamento de longo prazo) ou o de uma única noite (RUN) empenhe-se pelo desejo genuíno em seus relacionamentos. Metade da batalha é saber que você quer estar com uma mulher que quer te agradar, não uma que se sente obrigada a isso. Você nunca conseguirá este desejo genuíno dela por meios óbvios, mas você pode secretamente levá-la a este desejo genuíno. O truque para provocar desejo real é mantê-la ignorante de suas intenções em provocá-lo. O desejo real é criado quando ela pensa que é algo que ela quer, não algo que ela tem que fazer.

Artigo original: https://therationalmale.com/2011/08/25/the-desire-dynamic/

The Rational Male – A Regra Fundamental Dos Relacionamentos

Em qualquer relacionamento, a pessoa com mais poder é aquela que precisa menos da outra.

Este é o fundamento de qualquer relacionamento, não apenas os intersexuais, mas relacionamento com a família, nos negócios, etc. É uma dinâmica que está sempre em efeito. Para o meu bem-estar e o da minha família, eu preciso mais do meu patrão do que ele precisa de mim, quero dizer que eu levanto cedo para ir ao trabalho e trabalhar para ele. E enquanto eu sou uma parte vital para a continuidade ininterrupta da sua empresa e empreendimentos, ele simplesmente precisa menos de mim do que eu preciso dele. Eu poderia ganhar na loteria amanhã ou ele poderia decidir cortar meu pagamento ou limitar meus benefícios, ou eu poderia terminar meu mestrado e decidir que eu posso procurar algo melhor do que me manter amarrado a ele indefinidamente, assim, através de alguma condição iniciada por mim ou não, sou colocado em uma posição em que eu preciso menos dele do que ele precisa de mim. A partir deste ponto ele é forçosamente colocado em uma posição em que tem que decidir o quanto eu valho para suas ambições e dessa forma romper comigo ou negociar uma continuação do nosso relacionamento.

O mesmo é verdadeiro para relacionamentos intersexuais. Mesmo se você quer basear seu relacionamento em ‘poder’ ou não, não vem ao caso; isto já está em andamento desde o primeiro sinal de atração. Para ela você é aceitável se preencher um certo número de critérios e o inverso também é verdadeiro. Se não fosse assim você simplesmente não teria um relacionamento com reciprocidade. Esta é a primeira comparação que nós fazemos com outro indivíduo – chame isto de ‘dimensionamento’ se você preferir – mas nós realizamos comparações inatas (e frequentemente inconscientes) sobre tudo e no caso da atração inicial nós decidimos se a outra pessoa é aceitável para compartilhar da nossa intimidade. A partir deste ponto isto se torna uma negociação cooperativa.

Este princípio não é tanto sobre ‘poder’ quanto é sobre controle. Isto pode soar como semântica, mas faz diferença. É muito fácil cair em argumentos binários e pensar que o que eu quero dizer como regra fundamental dos relacionamentos é que um participante deve absolutamente dominar o outro – um dominador para um capacho submisso. Controle em um relacionamento saudável se passa como desejo e necessidades ditadas por cada parceiro. Em um relacionamento não saudável você tem uma manipulação desbalanceada deste controle por um dos parceiros. Mesmo se pensar que o controle nunca está completamente balanceado, ele se torna manipulação quando um parceiro, em essência, chantageia o outro com o que seria de outra forma apenas um reforço para o manipulado em uma circunstância saudável. Isto acontece por uma infinidade de razões diferentes, mas esta condição vem de duas formas – o participante submisso se torna condicionado a permitir que a manipulação ocorra e/ou o dominador inicia a manipulação. Em ambos os casos a regra ainda é verdadeira – aquele que precisa menos do outro tem mais controle. Em nenhum lugar isto é mais evidente do que em relacionamentos interpessoais.

Muitas pessoas que eu aconselho e leem meus posts (aqui e em outros lugares) assumem que esta regra significa que eu estou defendendo a manutenção da posição de dominância às custas de seus parceiros; muito longe disto. Eu entretanto defendo que as pessoas – homens jovens em particular – desenvolvam um melhor senso de autoestima e um entendimento melhor da verdadeira eficácia deles em seus relacionamentos (assumindo que você decida se envolver em um). Não me leve a mal, ambos os sexos são culpados de manipulação; Mulheres espancadas voltam para seus abusadores namorados/maridos e homens que tomaram chá de buceta comprometem a si mesmos e suas ambições para melhor servir as inseguranças de suas namoradas. Minha intenção em divulgar esta regra é abrir os olhos de homens que já estão predispostos a desvalorizarem a si mesmos colocando as mulheres como o objetivo da vida deles em vez de se verem como o PRÊMIO a ser alcançado. Compromisso sempre será parte de qualquer relacionamento, mas a chave é perceber quando este compromisso se torna o resultado de manipulação, ao ponto de se desenvolver a confiança para não se comprometer nestas situações. Aqui é onde um forte entendimento da regra fundamental dos relacionamentos se torna essencial.

Não há nada de errado em voltar atrás em uma discussão que você teve com a sua namorada, entretanto há alguma coisa errada quando você continuamente se compromete em ordem de ‘manter a paz’ achando que ela “recusará intimidades” devido a você manter sua posição. Este é um jogo de poder, também conhecido como ‘sh!t test’1. Ela assim inicia se tornando o lado controlador. Nenhuma intimidade com a mulher (quero dizer, sexo) vale este comprometimento porque fazendo isto você desvaloriza seu próprio valor para ela. Uma vez que este precedente é definido, ela irá progressivamente ter menos respeito por você – exatamente o oposto da ideia popular de que ela apreciará o seu comprometimento com ela e o irá recompensar por isto. E falando sério, você está se comprometendo para conseguir o quê? Tome como certo, intimidade com ela. Este não é um desejo genuíno ou um interesse real dela em você, é um teste psicológico sutil (que homens demais não estão cientes) com o objetivo de determinar quem precisa mais do outro. Não há nada que dê mais superautoconfiança para um homem do que o entendimento que ele não comprometerá a si mesmo em manipulações de uma mulher, e nada mais engrandecedor do que se afastar sabendo que ele pode e irá encontrar uma pretendente melhor do que ela. Este é o homem que passa o ‘sh!t test’. E isto é chamado de ‘interesse próprio esclarecido’, é um princípio que eu endosso totalmente.

Artigo original: https://therationalmale.com/2011/08/19/the-cardinal-rule-of-relationships/


1. N. do T.: ‘sh1t test’ ou ‘shit test’ é uma espécie de teste de congruência que uma mulher faz com um homem dizendo ou fazendo alguma coisa para julgar a reação ou resposta dele. É meio que um mecanismo inerente às mulheres, elas chegam a realizá-lo de forma automática. Veja o artigo Citizen Renegade: Vencendo Shit Tests – Concorde & Amplifique para exemplos e formas que podem ser usadas para vencê-los.

Primeiro mês positivo no Day Trade

Comecei a estudar operações de Day Trade1 no final de 2016, em outubro para ser mais preciso. Depois de passar três meses operando em conta demo passei para a conta real, e assim se passaram cinco meses terminando com saldo negativo. Até que neste mês de junho as coisas foram diferentes.

Dizem que um treinamento efetivo para operar Day Trade leva pelo menos três ou quatro anos, e por tudo que eu vi até agora coloco isso como uma verdade. Por isso encaro os custos e perdas mensais das operações como a mensalidade de um curso superior.

No começo passei por aquela mesma euforia que todo mundo que se inicia em operações de curto prazo na Bolsa passa. Mas logo se percebe que o buraco é bem mais embaixo. Não é a toa que nas salas de bate papo de operações das corretoras você encontra gente experiente agradecendo pela visão de mercado que muitas vezes o corretor tem e ao mesmo tempo gente xingando, dizendo que quebrou, que operar isso é igual loteria.

Todo professor, corretor e operador experiente diz, o iniciante deve focar seu aprendizado principalmente em psicologia de mercado. O cara tem que traçar uma estratégia consistente, utilizar stop loss2 no local correto, alavancar no momento certo e depois ter sangue frio para suportar os movimentos do preço até que os ganhos ocorram mais do que as perdas. Assim é como tudo na vida, seja em relacionamentos ou em busca de uma colocação profissional melhor, temos que trabalhar duro seguindo um plano adequado.

Não estou dizendo que já sou um vencedor na bolsa, muito pelo contrário, tenho pouquíssimo tempo de tela. Vou perder dinheiro ainda até aprender de verdade. O que manda é eu limitar meu capital e a quantidade de perda permitida no mês justamente para não quebrar.

Contudo, o fato de chegar ao final do mês com a soma das operações no positivo é um baita de um estímulo para estudar mais.


1. Day Trade são operações na Bolsa de Valores que são iniciadas e encerradas no mesmo dia no mercado de ações, opções ou contratos (compra e venda ou venda e compra).

2. Uma ordem stop loss é uma ordem enviada à corretora indicando sua intenção de interromper a perda (loss) em uma posição que esteja aberta.

Jocko Willink – Bom

Jock Willink é um oficial condecorado aposentado dos SEALs (Força de Operações Especiais da Marinha dos Estados Unidos). Ele foi um SEAL por vinte anos e foi o comandante do SEAL Team Threee – Task Unit Bruiser, a unidade de operações especiais mais condecorada durante a Guerra do Iraque. Hoje, Jocko dá aulas de liderança, estratégia, tática, condicionamento físico e jiu-jitsu para pessoas do mundo topo.

Falando em jiu-jitsu, ele é um dos maiores divulgadores da arte suave dentro do exército americano.

Ele possui também um podcast no YouTube onde comenta principalmente sobre o que se faz necessário para nós vencermos na vida, além de outras coisas. Altamente recomendado:

Jocko Podcast

Também recomendo seu Instagram, onde ele todo santo dia, posta a hora do seu relógio marcando 4h30 da manhã, horário em que ele começa as suas atividades do dia. O cara por si só é um exemplo excepcional!

‪When? ‬ ‪NOW. ‬

A post shared by Jocko Willink (@jockowillink) on

Dentre as diversas pérolas motivacionais que o Jocko já produziu está o vídeo abaixo onde ele fala sobre as diversidades da vida e a forma ideal de vê-las. Estou postando o vídeo legendado e mais a transcrição em seguida.

Quando um dos meus subordinados diretos, um dos meus caras, que trabalham para mim me ligava ou me chamava para conversar sobre um grande problema, um problema que estava acontecendo e dizia: – Chefe, nós temos esse problema, aquele e aquele outro…

Aí eu olhava para ele e dizia: – BOM!

E, finalmente, um dia ele estava me contando sobre uma questão que ele estava tendo, sobre algum problema e ele disse: – Eu já sei o que você vai dizer.

Eu disse: – O que eu vou dizer?

E ele disse: – Você vai dizer BOM.
Ele disse: – Isso é o que você sempre diz quando algo está errado e indo mal você sempre olha para mim e diz: – BOM.

Então eu disse: – É isso mesmo.
– Quando as coisas estão indo mal, também teremos algo “BOM” que virá do mal.
– Não conseguimos o equipamento mais moderno que estávamos querendo? BOM!
– Não foi promovido? BOM! Mais tempo para se aprimorar.
– O projeto foi cancelado? BOM! Podemos focar nos outros.
– Não conseguiu verba? Não conseguiu o emprego que queria? Se machucou? Torceu o tornozelo? Foi finalizado? BOM!
– Apanhou? BOM! Você aprendeu!
– Problemas inesperados? BOM! Nós temos a oportunidade de buscar a solução.
– É isso. Quando as coisas estão indo mal não fique chateado, não surte, não fique frustrado. Se você conseguir dizer a palavra BOM, advinhe?
– Quer dizer que você está vivo. Quer dizer que você ainda está respirando. E se você ainda está respirando então você ainda pode lutar.
– Então levante-se, tire a poeira, recarregue, recalibre, se engaje e parta para o ataque!

Corra atrás! #jockopodcast

 

A cura para a depressão

A depressão é um dos grandes males que afligem a humanidade nos tempos de hoje. É também um dos maiores fatores de incapacitação das pessoas em tomar as rédeas da própria vida e poder correr atrás dos seus sonhos.

Se você sofre de depressão ou está passando por uma fase depressiva sem uma razão aparente e não tem conseguido muitos avanços para vencer esse mal, peço que avalie sua vida com base em três simples fatores: exercício físico regular, alimentação saudável e boa noite de sono.

Exercício físico regular

O corpo humano foi feito para ficar em movimento, simples assim. A atividade física mantém seu corpo, seus músculos, suas articulações, seu sistema cardiorrespiratório, você, saudável.

Dessa forma, você precisa ter uma atividade física regular. Você precisa fazer alguma espécie de treino físico, algo que envolva o seu corpo, em que você sue, se exercite, se canse num intervalo de pelo menos 40 minutos três vezes na semana.

A atividade física liberará hormônios necessários para seu bem-estar, irá prepará-lo para o transcorrer do dia, sinalizará para o seu corpo que ele precisa se adequar àquele esforço físico para a sua sobrevivência.

Agora vamos deixar claro ao o que eu me refiro. Atividade física regular para mim não é caminhada!

Uma simples caminhada para mim é um meio que deve ser utilizado para descanso de outra atividade executada naquele momento, ou é claro, para te locomover de um ponto a outro.

Para mim a atividade física a ser executada deve fazer com que o seu corpo trabalhe em pró da sua própria existência. Seu sistema muscular tem que pensar que você está em uma situação que se ele não te ajudar você não conseguirá vencer aquele dia.

Pensando dessa forma, ao meu entender, as melhores opções são as de exercícios físicos que envolvam um trabalho de força e/ou um trabalho de cardio (a combinação destes, a proporção da divisão do treino entre eles, ou a escolha preferencial de apenas um, vai depender se você tem um objetivo secundário).

Eu recomendaria para trabalho de força a clássica musculação ou a calistenia. Nesta última você não precisará gastar com mensalidades, vai poder treinar ao ar livre em algum parque, mas se preferir ela também pode ser executada em ambientes fechados como na garagem da sua casa. O site e o canal do Calistenia Brasil no YouTube é uma excelente fonte de ideias e dicas de treinos.

Já para o trabalho de cardio uma excelente opção é correr! É claro que não estou lhe dizendo para sair correndo do nada, mesmo porque se você estiver sem preparo é praticamente uma certeza que você irá se lesionar. Então, use um plano de treino.

A planilha de treino do site Eu Atleta no link abaixo é uma excelente referência para os iniciantes:

Guia: prepare-se em oito semanas para correr 10 km

Uma outra opção que me agrada demais e que a meu vir combina bem essas duas formas de treino é o “Jiu-jitsu brasileiro”. Se você tiver a oportunidade, faça!

BJJ (como é conhecido lá fora, do inglês Brazilian Jiu-jitsu) além de uma forma de treino voltada ao conhecimento do próprio corpo, lhe permite aprender defesa pessoal e também desfrutar de um esporte que tem adeptos por todo o mundo.

Encontre uma academia perto de você e vá, sem compromisso, pelo menos conhecer como ele é.

Por fim, falando exclusivamente de mim, o que eu faço é: calistenia e corrida de 10km em dias alternados pela manhã de segunda a sábado (dependendo do foco do dia gasto de 40 a 60 min por treino), e tenho aulas de jiu-jitsu à noite duas vezes na semana (sou faixa roxa). É cansativo mas meu corpo até o momento não tem reclamado (deixando claro que não sou nenhum garotão, já passei da casa dos 3.5 a um bom tempinho).

Alimentação saudável

Outro tema que precisa ser desmistificado. Quando eu digo alimentação saudável quero dizer arroz, feijão, legumes, salada e uma “mistura”. Não é nada dessas loucuras que alguns professores em academias, nutricionistas, nutrólogos muitas vezes pregam. É a comida simples, do dia a dia, que nossa avó fazia e que hoje tem sido perdida por causa da correria em que nós temos vivido.

Uma das maiores incentivadoras dessa forma de alimentação é a chef de cozinha (e ex-modelo) Rita Lobo.

Veja bem, para você ter uma vida saudável você precisa comer alimentos de verdade, nada dessas coisas prontas, fast food, etc. Faça um grande favor para você, para sua saúde, para sua vida: aprenda a cozinhar!

Fazendo um adendo no assunto e comentando sobre o problema do sobrepeso. Se você precisa emagrecer é com a alimentação saudável que você fará isso de uma forma menos traumática. Agora perceba que para emagrecer você vai ter que sofrer um pouco, para emagrecer você precisa sentir fome, você precisa levantar da mesa após uma refeição ainda não estando satisfeito, você precisa ter este sentimento o dia todo. Não estou dizendo que você não tem que comer nada, é justamente o inverso, você precisa comer, você tem que comer, senão seu corpo ficará doente. Mas coma para que seu corpo funcione bem e não para se esbaldar com os sabores da comida. Eventualmente você pode fazer isso, porém sem excesso e sem gula. Coma o que você quiser, até mesmo sobremesas, tendo como base que você deve se alimentar e não viver em função da comida. Combine a dieta (que responde por 80% de qualquer protocolo de emagrecimento) com atividade física regular e você estará no caminho certo.

Boa noite de sono

O último item que peço que você avalie em sua vida para você entrar em um processo de recuperação da depressão é o quão bem você dorme.

A grande maioria das pessoas acha que é preciso dormir pelo menos 8 horas diariamente para que seu corpo esteja descansado e pronto para mais um dia. Conheço gente que dorme essas 8 horas e até mais e passa o dia todo como se estivesse arrastado.

Vamos deixar uma coisa clara, é possível descansar seu corpo, recuperá-lo de um dia de trabalho, de um dia de estudos, de um dia com atividade física com intensidade moderada, de um dia que você batalhou atrás dos seus sonhos, com apenas 6 horas de sono.

Qual o segredo? Sua alimentação!

Se você não consegue dormir por 6 horas e acordar disposto no outro dia para continuar com a sua luta diária é 99% de chance de que o problema está na sua alimentação do dia anterior, na forma, na quantidade e na qualidade do que você come.

Você pode dizer “ah, mas eu tenho um distúrbio do sono”; vou te dizer então que vários desses distúrbios são resolvidos mexendo-se na sua alimentação.

Então estude o que você come, faça mudanças nos tipos de alimento que consome, faça uma planilha ou diário da sua alimentação e monitore a sua disposição no decorrer do dia. Com certeza perceberá que alguns tipos de alimentos não lhe fazem bem.

Concluo

Se após todo esse trabalho você perceber que a sua depressão não melhora, você estará liberado para ir atrás de um tratamento clínico, antes disso não. Por favor, esqueça das muletas que nos impedem de progredir, você precisa fazer um trabalho em si mesmo primeiro, sempre.

Uma pessoa normal, com sua taxa metabólica e hormonal dentro dos valores médios, dificilmente irá se sentir desanimada depois de um dia com treino forte, comida de qualidade e com um bom descanso.

Se você acha que não tem motivação para fazer isso, ótimo!!! Quem depende de motivação para vencer já perdeu. O que você precisa para vencer não é de motivação, é de disciplina.

Disciplina! Guarde esta palavra como se ela fosse o ar que você respira.

Boa sorte, te espero na linha de chegada dos vencedores!

Excerto comportamental masculino – Cem anos de solidão – Gabriel García Márquez

 

Na minha infância e adolescência eu lia muito, bastante mesmo. Era coisa de um livro ou mais por semana. Não tinha muitos amigos, não era bom em esportes, meu refúgio eram os livros.

O tempo foi passando e na vida adulta, com o trabalho e as obrigações eu acabei perdendo esse costume. Peguei também o vício da Internet, da passada superficial sobre o conteúdo, da simples olhada, da leitura “en passant”.

Mas de uns tempos para cá tenho tentado retomar o gosto pela leitura de livros, e por isso, no momento estou lendo Cem anos de solidão de Gabriel García Márquez.

Não vou aqui falar sobre o livro em si, mas destacar apenas um trecho do livro que serve de aprendizado para aqueles que querem melhorar sua postura diante do sexo oposto.

Lembrem-se: sempre deixem a mulher indignada com a sua audácia!

No primeiro sábado em que foi ao cinema com seu pai, voltou a ver Mauricio Babilonia com o seu costume de linho, sentado a pouca distância deles, e percebeu que ele se desinteressava do filme para se virar para olhá-la, não tanto para vê-la como para que ela notasse que ele a estava olhando. Meme se aborreceu com a vulgaridade daquele sistema. Finalmente, Mauricio Babilonia se aproximou para cumprimentar Aureliano Segundo e só então Meme soube que se conheciam, porque ele tinha trabalhado na primitiva instalação elétrica de Aureliano Triste e tratava seu pai com uma atitude de subalterno. Essa comprovação aliviou-a do desprazer que lhe causava a sua altivez. Não se tinham visto a sós, nem se tinham dito uma palavra diferente do cumprimento, na noite em que sonhou que ele a salvava de um naufrágio e ela não experimentava nenhum sentimento de gratidão e sim de raiva. Era como lhe ter dado uma oportunidade que ele desejava, sendo que Meme queria o contrário, não só com Mauricio Babilonia como também com qualquer outro homem que se interessasse por ela. Por isso ficou tão indignada que depois do sonho, em vez de detestá-lo, teria

experimentado uma urgência irresistível de vê-lo. A ansiedade se fez mais intensa no correr da semana e no sábado já era tão premente que teve que fazer um esforço enorme para que Mauricio Babilonia não notasse, ao cumprimentá-la no cinema, que o coração lhe saía pela boca. Ofuscada por uma confusa sensação de prazer e raiva, estendeu-lhe a mão pela primeira vez, e só então Mauricio Babilonia se permitiu apertá-la. Meme chegou, numa fração de segundo, a se arrepender do impulso mas o arrependimento se transformou imediatamente numa satisfação cruel, ao comprovar que também a mão dele estava suada e gelada. Nessa noite, compreendeu que não teria um instante de sossego enquanto não demonstrasse a Mauricio Babilonia quão vã era a sua aspiração, e passou a semana voejando em torno dessa ansiedade. Recorreu a toda espécie de artimanhas inúteis para que Patricia Brown a levasse para buscar o automóvel. Por último, valeu-se do cabelo-de-fogo norte-americano, que por essa época estava passando as férias em Macondo e, com o pretexto de conhecer os novos modelos de automóveis, fez-se levar às oficinas. Desde o momento em que o viu, Meme deixou de enganar a si mesma, e compreendeu que o que acontecia na realidade era que não podia mais suportar o desejo de estar a sós com Mauricio Babilonia e se indignou com a certeza de que este compreendera isso ao vê-la chegar.

— Vim ver os novos modelos — disse Meme.

— É um bom pretexto — disse ele.

Meme percebeu que estava se queimando na luz da sua altivez e procurou desesperadamente uma maneira de humilhá-lo. Mas ele não lhe deu tempo. “Não se assuste”, disse em voz baixa. “Não é a primeira vez que uma mulher fica louca por um homem.” Sentiu-se tão desamparada que abandonou a oficina sem ver os novos modelos e passou a noite de extremo a extremo rolando na cama e chorando de indignação. O cabelo-de-fogo norte-americano, que realmente começava a lhe interessar, pareceu-lhe um bebê de fraldas. Foi então que entendeu as borboletas amarelas que precediam as aparições de Mauricio Babilonia. Vira-as antes, sobretudo na oficina mecânica, e pensara que estavam fascinadas pelo cheiro da pintura. Alguma vez tê-las-ia sentido voejar sobre a sua cabeça – na penumbra do cinema. Mas quando Mauricio Babilonia começou a persegui-la como um espectro que só ela identificava na multidão, compreendeu que as borboletas amarelas tinham alguma coisa que ver com ele. Mauricio Babilonia estava sempre na plateia dos concertos, no cinema, na missa, e ela não necessitava vê-lo para descobri-lo, porque o indicavam as borboletas. Uma vez, Aureliano Segundo se impacientou tanto com o sufocante movimento de asas que ela sentiu o impulso de confiar-lhe o seu segredo como lhe havia prometido, mas o instinto lhe indicou que desta vez ele não ia rir como de costume: “Que diria a sua mãe se soubesse.” Certa manhã, enquanto podavam as rosas, Fernanda lançou um grito de espanto e quis tirar Meme do lugar em que estava e que era o mesmo lugar do jardim de onde Remedios, a bela, subira aos céus. Tivera por um instante a impressão de que o milagre ia se repetir na sua filha, porque tinha-se perturbado com um repentino movimento de asas. Eram as borboletas. Meme as viu como se tivessem nascido de repente na luz e seu coração deu um baque. Nesse momento, entrava Mauricio Babilonia com um pacote que, segundo disse, era um presente de Patricia Brown. Meme engoliu o rubor, assimilou a perturbação, e até conseguiu um sorriso natural para pedir-lhe o favor de colocá-lo no parapeito, porque tinha os dedos sujos da terra. A única coisa que Fernanda notou no homem que poucos meses depois haveria de expulsar de casa sem se lembrar de que o tivesse visto alguma vez foi a textura biliosa da pele.

— É um homem muito esquisito — disse Fernanda. —Está escrito na testa que vai morrer.

Meme pensou que sua mãe tinha ficado impressionada com as borboletas. Quando acabaram de podar o roseiral, lavou as mãos e levou o pacote para o quarto para abri-lo. Era uma espécie de brinquedo chinês; composto de cinco caixas concêntricas e, na última, um cartão laboriosamente desenhado por alguém que mal sabia escrever: A gente se vê sábado no cinema. Meme sentiu o terror tardio de que a caixa tivesse estado tanto tempo no parapeito, ao alcance da curiosidade de Fernanda, e, embora a lisonjeasse a audácia e o engenho de Mauricio Babilonia, comoveu-a a sua ingenuidade de esperar que ela não faltasse ao encontro. Meme já sabia que Aureliano Segundo tinha um compromisso no sábado à noite. Entretanto, o fogo da ansiedade abrasou-a de tal modo no correr da semana que no sábado convenceu o pai a deixá-la sozinha no cinema e voltar para buscá-la no final da sessão. Uma borboleta noturna voejou sobre a sua cabeça enquanto as luzes estiveram acesas. E então aconteceu. Quando as Luzes se apagaram, Mauricio Babilonia se sentou do seu lado. Meme se sentiu debater num pântano de desespero, do qual só poderia ser resgatada, como acontecera no sonho, por aquele homem cheirando a óleo de motor que mal distinguia na penumbra.

— Se você não tivesse vindo — ele disse — não teria me visto nunca mais.

Meme sentiu o peso da sua mão no joelho e soube que ambos chegavam naquele instante ao outro lado do desamparo.

— O que me choca em você — sorriu — é que sempre diz exatamente o que não devia dizer.